Aurora


Leia um Texto
2011

Dormem nas minhas canaletas

As águas dadas demais

À serviço de florescer

Arvoredos roxos de palavras

nascentes.